Notícias

Título: UFPE ganha um dos laboratórios mais modernos do mundo
Descrição: Um dos laboratórios mais modernos do mundo foi inaugurado nesta manhã na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Trata-se do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma) que vai atuar na área de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços. A iniciativa da Petrobras, coloca a UFPE na lista das mais de cem instituições em todo o Brasil que desenvolvem pesquisas nas áreas de interesse da multinacional.

Nesta primeira fase, foram investidos R$ 8 milhões na construção de uma sala de trabalho colaborativo, com capacidade de comunicação simultânea com até dez locais diferentes, um laboratório de realidade virtual com sistema imersivo 3D, onde são realizados testes virtuais de degradação de equipamentos, testes de procedimentos operacionais com foco na confiabilidade humana, visualização de poços e de situações de emergência. “Não existe um laboratório igual a este dentro da Petrobras”, afirmou o gerente executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras, Carlos Tadeu Fraga.

De acordo com o coordenador geral do Ceerma, Enrique Lopez, o centro foi construído para ser referência na área de poços e vai beneficiar os setores de engenharia de poços, de produção, mecânica, oceanografia, estatística e meio ambiente. “Aqui vai ser possível minimizar as falhas catastróficas de equipamentos através de pesquisas de alto nível tecnológico. Além disso, o Ceerma vai ser campo de estudo para dissertações de mestrado, testes de doutorado, criação de nova linha de pesquisa, geração de emprego e atração de novos talentos”, declarou.
São 1,5 mil m² de área construída, onde serão investidos mais R$ 52 milhões até 2011, quando será concluída a segunda fase do centro. A próxima etapa do Ceerma terá um núcleo de ensaios e um de engenharia que vão trabalhar no desenvolvimento, pesquisa e capacitação de recursos humanos. Atualmente, o laboratório conta com 17 alunos de graduação, 15 de mestrado, sete doutorado e cinco professores. “O Ceerma é âncora onde os estudos partem para outras universidades do Brasil e do mundo”, contou Lopez.

Autor: Edilson Segundo, do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
Data: 06/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: Petrobras e UFPE inauguram centro para pesquisas na área de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços
Descrição: A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) inaugura, nessa quinta-feira (6), às 10h, as novas instalações do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma). Com infraestrutura de ponta, o Ceerma é hoje um dos mais modernos laboratórios do mundo para ensaios de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços. A construção deste centro na UFPE faz parte uma estratégia da Petrobras de investimentos em universidades e institutos de pesquisa brasileiros. Já são mais de 100 instituições em todo o Brasil que, articuladas em redes temáticas e núcleos regionais, desenvolvem pesquisas em áreas de interesse da Petrobras.

A inauguração contará com a presença do gerente executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras, Carlos Tadeu Fraga, do reitor da UFPE, Amaro Lins, e o governador Eduardo Campos. Neste laboratório, foram construídos uma sala de trabalho colaborativo, com capacidade de comunicação simultânea com até 10 locais diferentes, e um laboratório de realidade virtual com sistema imersivo 3D, que realiza testes virtuais de degradação de equipamentos, testes de procedimentos operacionais com foco em confiabilidade humana, visualização de poços e de situações de emergência; um cluster computacional de alto desempenho para dar suporte às atividades computacionais do Ceerma.

Neste mesmo prédio, ainda será instalado um Shaker UDS 12000, aparelho que submete equipamentos a testes de vibração e choque para simular as reais condições operacionais a que eles ficarão submetidos e, desta forma, avaliar a sua integridade. Este será o maior shaker disponível na América Latina em termos de carga, aceleração e deslocamento.

Até o final de 2012 será construído outro prédio na UFPE para abrigar, ao lado do Ceerma, o Centro de Estudos e Testes de Confiabilidade (Cetec), também com recursos da Petrobras. Nele, serão construídos quatro poços de 12 metros de profundidade para realização de testes de confiabilidade de equipamentos e um poço de 120 metros de profundidade para testes de vazão.

Estes investimentos na UFPE estão no âmbito da Rede Temática de Monitoração, Controle e Automação de Poços, coordenada pela Petrobras. Além Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), fazem parte desta rede as seguintes instituições: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Laboratório Nacional de Luz Sincroton (LNLS) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Autor: Assessoria de Imprensa da UFPE
Data: 04/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: Petrobras e UFPE inauguram um dos mais modernos centros de pesquisa em exploração e produção
Descrição: A Petrobras e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) inauguram nesta quinta-feira (6) às 10h , novas instalações do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA). Com infraestrutura de ponta, o CEERMA é hoje um dos mais modernos laboratórios do mundo para ensaios de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços. O centro permitirá a realização de testes virtuais de degradação de equipamentos, visualização de poços e de situações de emergência. Além disso, contará com um aparelho especial que realiza testes de vibração e choque para simular as reais condições a que os equipamentos estão submetidos.
A construção deste centro na UFPE faz parte de uma estratégia da Companhia de investimentos em universidades e institutos de pesquisa brasileiros. Já são mais de 100 instituições em todo o Brasil que, articuladas em redes temáticas e núcleos regionais, desenvolvem pesquisas em áreas de interesse da Petrobras. A inauguração contará com as presenças do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do gerente executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras, Carlos Tadeu Fraga, e do reitor da UFPE, Amaro Lins.
Características
No laboratório foram construídos uma sala de trabalho colaborativo, com capacidade de comunicação simultânea com até 10 locais diferentes, e um laboratório de realidade virtual com sistema imersivo 3D, que realiza testes virtuais de degradação de equipamentos, testes de procedimentos operacionais com foco em confiabilidade humana, visualização de poços e de situações de emergência; um cluster computacional de alto desempenho para dar suporte às atividades computacionais do CEERMA.

Neste mesmo prédio ainda será instalado um Shaker UDS 12000, aparelho que submete equipamentos a testes de vibração e choque para simular as reais condições operacionais a que eles ficarão submetidos e, desta forma, avaliar a sua integridade. Este será o maior shaker disponível na América Latina em termos de carga, aceleração e deslocamento.
Até o final de 2012 será construído outro prédio na UFPE para abrigar, ao lado do CEERMA, o Centro de Estudos e Testes de Confiabilidade (CETEC), também com recursos da Petrobras. Nele, serão construídos quatro poços de 12 metros de profundidade para realização de testes de confiabilidade de equipamentos e um poço de 120 metros de profundidade para testes de vazão.
Redes temáticas
Estes investimentos na UFPE estão no âmbito da Rede Temática de Monitoração, Controle e Automação de Poços, coordenada pela Petrobras. Além da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), fazem parte desta rede as seguintes instituições: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Laboratório Nacional de Luz Sincroton (LNLS) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Serviço:
Evento: Inauguração do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA)
Dia: 06/08/2009 (quinta-feira)
Hora: 10 horas
Local: Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
Endereço: Campus Universitário – Avenida Arquitetura S/N – CEERMA-CPG

Autor: Agência Petrobras
Data: 06/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: Petrobras e UFPE inauguram centro para pesquisas na área de engenharia de poços
Descrição: Está sendo inaugurado hoje o novo Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental. O centro é uma parceria entre a Universidade Federal de Pernambuco e a Petrobras e é um dos mais modernos laboratórios do mundo para ensaios de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços.
No local, foram construídos uma sala de trabalho colaborativo, com capacidade de comunicação simultânea com até 10 locais diferentes, e um laboratório de realidade virtual com sistema imersivo 3D, que realiza testes virtuais de degradação de equipamentos, testes de procedimentos operacionais com foco em confiabilidade humana, visualização de poços e de situações de emergência; um cluster computacional de alto desempenho para dar suporte às atividades computacionais do Ceerma.
Neste mesmo prédio, ainda será instalado um Shaker UDS 12000, aparelho que submete equipamentos a testes de vibração e choque para simular as reais condições operacionais a que eles ficarão submetidos e, desta forma, avaliar a sua integridade. Este será o maior shaker disponível na América Latina em termos de carga, aceleração e deslocamento.

Autor: Diário de Pernambuco
Data: 06/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: Eduardo aposta na qualificação de trabalhadores para o Pré-sal
Descrição: Pernambuco ganha um dos mais modernos centros de pesquisas voltados para a atividade de exploração de petróleo e gás do mundo. O Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental - Ceerma, instalado na Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, vai proporcionar a profissionais e estudantes analisar os riscos relativos às atividades de perfuração de poços de petróleo e gás, além de formar trabalhadores especializados.

Eduardo Campos fez questão de prestigiar a inauguração da primeira etapa do prédio, ontem. O Governador visitou as instalações e conheceu os equipamentos de última geração instalados no Centro. Um simulador em terceira dimensão permite ao usuário “tocar” a peça e “ver de perto” o desgaste de cada componente ou ainda o real funcionamento de cada engrenagem envolvida.
O Ceerma é fruto de uma parceria entre a Petrobras, UFPE e Agência Nacional de Petróleo - ANP, que investiram R$ 8 milhões nesta primeira fase do projeto. O Ceerma passa a ser um grande aliado do Governo do Estado no sentido de transformar o Porto de Suape em um polo de produção e prestação de serviços para as indústrias de exploração de petróleo, gás, naval e off shore, através do projeto Suape Global.
Para Eduardo, o Suape Global vai além da construção de uma refinaria (Abreu e Lima) e de um Estaleiro (Atlântico Sul). Ele garante que o Ceerma vai ajudar o Governo a resgatar a tradição de Pernambuco de ser um Estado formador de mão-de-obra. “A capacitação de pessoas vai ser o grande diferencial para atrair as empresas que vão prestar serviços em toda a exploração da camada Pré-sal, duplicando a exploração de petróleo no Brasil. Nossas instituições de ensino já compreenderam a função que devem desempenhar neste momento de desenvolvimento tanto da economia, quanto do conhecimento”, afirmou o Governador.
Eduardo ainda lembrou que de 2000 a 2009 Pernambuco conseguiu R$ 59 milhões em projetos financiados pela Petrobras e que deste montante R$ 49 milhões foram contratados nos últimos três anos. “Nós já temos mais R$ 113 milhões sendo analisados no Centro de Pesquisa da Petrobras. Desse total, R$ 25 milhões serão utilizados para o Centro de Formação de Soldadores”, adiantou.

Centro será uma referência mundial, diz Petrobras

Na segunda etapa do projeto, serão investidos outros R$ 42 milhões. Um aparelho que submete equipamentos a testes de vibração e choque para simular as reais condições operacionais às quais ficarão submetidos também será trazido: o Shaker (agitador em inglês) UDS 12000.
O gerente-executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras, Carlos Tadeu Fraga, revelou que nem a própria empresa tem um laboratório com tanta tecnologia. “Este Centro será uma referência mundial para os testes de confiabilidade e redução de riscos dos equipamentos em poços de grande profundidade”, asseverou Carlos Tadeu. Segundo Enrique Lopez, diretor do Ceerma, 30 alunos de graduação, mestrado e doutorado já estão realizando pesquisas supervisionadas por cinco professores da Universidade Federal de Pernambuco.
Também participaram da inauguração a secretária de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente, Luciana Santos, e os reitores Amaro Lins (UFPE), Carlos Calado (UPE) e o Pe. Pedro Rubens (Unicap), entre outros membros do meio acadêmico e da Petrobras.

Autor: Noticiário Executivo – DOU
Data: 07/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: UFPE inaugura laboratório de ponta: Espaço servirá de base para pesquisas na área de engenharia
Descrição: Com investimento total da Petrobras na casa dos R$ 50 milhões, iniciativa do Centro de Formação (Cempes), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) inaugurou, ontem pela manhã, o Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma). De infraestrutura de ponta, o laboratório servirá de base para ensaios de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços petrolíferos, com a ajuda de 304 computadores de alto desempenho, com visualização 3D e capacidade de processamento de dados quatro vezes maior que a hoje existente em toda a UFPE. Para 2010, o projeto prevê também a instalação do Centro de Estudos e Testes de Confiabilidade (Cetec), onde, ainda no campus da Universidade, serão construídos cinco poços falsos para a simulação de equipamentos, prevendo seu desempenho em 20 ou 30 anos.
Depois de exatos dois anos e oito meses de espera, o coordenador geral do Ceerma, o engenheiro químico Enrique López, explicou que, antes da inauguração formal de ontem, o centro havia começado a operar há dois meses, no prédio de 1,5 mil metros quadrados, com a participação de 17 alunos da graduação, 15 do mestrado, cinco professores da UFPE e cinco engenheiros, todos ligados ao Centro de Tecnologia e Geociências (CGT) da instituição. “Vamos servir de base para pesquisas nas áreas das engenharias de Produção, Química, e Mecânica, além de Oceanografia. Também para a pós-graduação desses cursos e, em 2010, Engenharia de Petróleo. Temos a perspectiva de formar de sete a dez mestres por ano e três ou quatro doutores, também anualmente”, previu López.
Presente à solenidade, o governador Eduardo Campos ponderou que este é o meio de desconcentrar a oportunidade de forrmação de pessoas, colaborando com o Cempes e ajudando na capacitação de profissionais que vão operar em todo o Nordeste, no segmento de petróleo, gás, offshore (plataforma petrolífera) e naval. “É um salto cultural, ligando a nova e a velha economia. E faz parte de um histórico de ações. Desde 2007, liberamos recurso estadual para bancar a formação em doutorados. Em quatro anos, investimos R$ 100 milhões, colocando 600 doutores no mercado de trabalho que, até então, tinha 2,6 mil”, salientou.
“Como este centro, não existe nada parecido na América Latina ou em todo o Hemisfério Sul. Só há três em todo o mundo, mas estão nos Estados Unidos (EUA) e pertencem a fabricantes de equipamentos instalados em poços de petróleo”, observou o gerente executivo do Cempes, Carlos Tadeu Fraga. O homem que trouxe R$ 8 milhões só para inauguração da primeira etapa do projeto desse centro de referência mundial lembrou que, se a Petrobras for usar a tecnologia dos centros americanos, terá que pagar em dólar, entrar num a fila de espera e enfrentar a dificuldade para equiparar a qualidade de mais de um equipamento. “Aqui, os testes poderão ser mais severos e já está sob o direcionamento acadêmico, com os seus recursos humanos”, observou.

NACIONAL
A ação da Petrobras faz parte de uma estratégia iniciada, desde 2005, com maciço investimento em universidades e institutos de pesquisas brasileiros. São mais de 100 unidades de Ensino Superior e estudos, distribuídas em 38 redes de atuação acadêmica, que são beneficiadas, anualmente, com R$ 400 milhões. A UFPE está vinculada à Rede de Monitoração, Controle e Automação de Poços junto a cinco outras universidades - entre federais e estaduais de todo o Brasil -, um laboratório e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). A finalização do projeto em Pernambuco está prevista para 2012.

Autor: http://www.folhape.com.br/folhape/materia.asp?data_edicao=07/08/2009&edt=8&mat=156771
Data: 07/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: O pronto-socorro das refinarias
Descrição: Um dos laboratórios mais modernos do mundo para desenvolver estudos na área de engenharia de poços está instalado em Pernambuco. O Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma) foi inaugurado recentemente mas já está pondo em prática, com excelência, projetos no segmento de confiabilidade e risco utilizando alta tecnologia. O Ceerma é resultado de uma parceria entre a Universidade Federal de Pernambuco e a Petrobras.

Cerca de R$ 8 milhões foram investidos no espaço, que possui 1.500m² de área construída, divididos em dois andares. No térreo estão instaladas salas para pesquisas, onde trabalham professores da UFPE e estudantes de graduação, mestrado e doutorado.
Mas é o primeiro andar que guarda todo o aparato tecnológico. A sala de trabalho corporativo é onde tudo começa (e termina). É nesse local onde os técnicos do Ceerma podem fazer teleconferências com outros profissionais instalados em dez outras salas do Brasil. Em caso de acidentes em poços ou refinarias, uma outra tela de projeção com esteroscopia, com o auxílio de um óculos de terceira dimensão, é capaz de identificar com mais exatidão o foco do problema. É como se o técnico “mergulhasse” no poço e lá pudesse ver o defeito de perto.
A estrutura permite que as decisões sejam tomadas em conjunto e com uma rapidez muito maior. “Uma outra tela touch screen reproduz imagens e projetos, que podem ser alterados utilizando uma caneta especial. A informação é visualizada para todos os centros que participam da teleconferência. A decisão nos casos de crise é muito mais eficaz”, revela o coordenador geral do Ceerma Enrique López.
A tecnologia é toda local. Os softwares foram desenvolvidos por estudantes da UFPE e os alunos também participam do centro. Alguns recebem capacitações em uma sala específica do prédio e outros participam de projetos desenvolvidos.

Ao lado da sala de trabalho corporativo está guardado o “cérebro” do Ceerma. É num pequeno espaço denominado HPC (High Performance Computing) onde estão instaladas três espécies de CPUs gigantes que gerenciam todo o sistema, fazendo simulações minuciosas dos projetos. “É o que temos de mais avançado aqui em Pernambuco”, afirma o professor do departamento de oceanografia da UFPE, Moacyr Araújo.
Para se ter uma ideia da capacidade da máquina, um PC doméstico dos mais inovadores é capaz de processar duas CPUs ao mesmo tempo. O HPC tem a capacidade de processar 308 equipamentos em paralelo. A capacidade de sete teraflops (um notebook tem 0,00032 teraflops) possibilita ao HPC fazer previsões de fenômenos geofísicos em função do clima e dos movimentos dos rios e mares.

Um dos projetos em que o Ceerma está trabalhando atualmente é o da exploração do Pré-sal , auxiliando a Petrobras a melhorar os tipos de sistemas utilizados nos poços. São testadas as capacidades e os desempenhos de válvulas, e condições de temperatura e pressão. Os testes determinam como novos equipamentos vão se comportar ao longo dos trabalhos de extração do óleo e do ciclo de produção do petróleo.
A Refinaria do Nordeste, instalada no município de Abreu e Lima, também é alvo do Ceerma. É lá onde são feitas análises de risco das instalações e das depressões atmosférica e oceânica. Isso quer dizer que no local é possível prever, com precisão, as consequências, no ar e na água, dos gases emitidos pela refinaria. Assim, fica mais fácil emitir alertas de risco e avaliar possíveis acidentes, bem como dar respostas emergenciais. Além do pré-sal e da Refinaria Abreu e Lima, o Ceerma trabalha em refinarias de petróleo instaladas no Maranhão e no Ceará.

Numa outra sala, localizada ao lado do HPC e denominada de Cave, os técnicos vão poder reproduzir, com fidelidade, as variações dentro de um poço ou reservatório. A câmara é um grande simulador, com paredes e piso brancos feitos de polímero, que ficam ao redor de um projetor de última geração. A máquina projeta imagens no piso e nas paredes, para que o técnico, utilizando óculos especiais, possa identificar o local da falha, como por exemplo um vazamento, e evitar um acidente maior. Na Cave também é possível fazer treinamento com operadores, simulando a resposta e a atitude desses profissionais em situações de alto estresse.

Para que o Ceerma fosse instalado em Pernambuco, foi preciso haver testes e comprovar que a equipe daqui fosse capaz de desbancar candidatos de universidades de estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Bahia.

Mas os planos não param por aí. Já no primeiro trimestre de 2010, um galpão com 600 m² vai abrigar quatro poços com 12 m de profundidade, para o desenvolvimento de novos trabalhos. Além disso, um novo equipamento, o Shaker UDS 12000, vai submeter os equipamentos a vibração e choques com qualquer freqüência, simulando condições operacionais reais, antes que as máquinas sejam utilizadas nas refinarias e poços de petróleo.

O espaço também contará com duas câmaras termo-hiperbáricas de aproximadamente 2,5m para realizar testes de altas temperatura e pressão. Ao total, R$ 52 milhões terão sido investidos no local, que tem como uma de suas principais funções solucionar os problemas causados nas extrações de petróleo.

Autor: Por Elian Balbino Da Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
Data: 15/08/2009 00:00:00

Próxima

Título: UFPE assina dois convênios com a Petrobras no valor total de R$ 10 milhões
Descrição: A Universidade Federal de Pernambuco fortaleceu os laços com a Petrobras por meio da assinatura de dois convênios, cada um no valor de R$ 5 milhões, em cerimônia realizada na manhã de hoje (11), no auditório Reitor João Alfredo, no prédio da Reitoria.

As iniciativas são voltadas à pesquisa na área de engenharia de poços de petróleo e ao desenvolvimento social da sub-região de Suape, composta pelos municípios do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca. A solenidade também contou com palestra proferida pelo gerente executivo do Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes) da Petrobras, Carlos Tadeu da Costa Fraga.

“A assinatura dos convênios mostra quais são as prioridades da UFPE, que através de seus pesquisadores faz com que o conhecimento seja gerado e se inove”, garantiu o reitor Anísio Brasileiro. Ele enfatizou, ainda, a relação direta entre o investimento em ciência e o desenvolvimento nacional.

Firmado entre o Cenpes, a Universidade e a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (Fade/UFPE), o convênio Ceerma – Fase II garantirá a ampliação da infraestrutura do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma), instalado no Campus Recife da Universidade.

O laboratório foi inaugurado em 6 de agosto de 2009 e é um dos mais modernos do mundo em estudos de confiabilidade e risco na área de engenharia de poços. “Qualquer país, para ousar ser menos desigual e mais justo, precisa de uma indústria nacional forte, precisa de competência técnico-científica”, ressaltou o reitor Anísio Brasileiro.

Já o projeto “Diálogos para o Desenvolvimento Social em Suape” teve o convênio entre Refinaria Abreu e Lima, UFPE e Fade formalizado hoje (11). A iniciativa havia sido apresentada ao público no dia 16 de dezembro de 2011, quando foi realizada a primeira reunião de trabalho, na Refinaria Abreu e Lima.

A ação tem por objetivo reduzir índices relativos a problemas de saúde e violência no Cabo de Santo Agostinho e em Ipojuca, beneficiando cerca de 160 mil moradores da área.

Serão desenvolvidas atividades de orientação sobre sexualidade e gravidez na adolescência, prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)/Aids, enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes e à violência e o combate ao uso abusivo de álcool e outras drogas.

Autor: Jornal do Commercio
Data: 11/01/2012 00:00:00

Próxima

Título: ANP autoriza construção do Laboratório de Tecnologia em Petróleo, Gás e Biocombustíveis da UFPE
Descrição: A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) concedeu autorização prévia para a construção do Laboratório Integrado de Tecnologia em Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Universidade Federal de Pernambuco (LITPEG-UFPE). Com um custo estimado em R$ 76,5 milhões, a obra deverá agregar os principais laboratórios da UFPE que trabalham na área, envolvendo pesquisadores de diferentes departamentos e programas de pós-graduação da UFPE em um espaço físico comum. A autorização foi publicada no Diário Oficial da União de ontem (16).

O projeto prevê a construção, no Campus Recife, de laboratórios ligados a várias disciplinas da indústria do petróleo, além de ampla infraestrutura de apoio à pesquisa, com biblioteca, salas de pesquisadores, auditórios e salas de reunião, de videoconferências e de trabalho colaborativo. O edifício terá seis pavimentos e área total de 12.340 m2, além de 653 m2 do galpão anexo para instalação de plantas piloto e de 229 m2 do bloco técnico, contemplando assim todos os equipamentos e instalações necessárias para seu funcionamento.

Haverá também instalações físicas visando o futuro Programa de Pós-Graduação em Petróleo, alojando ainda as salas de estudo dos Programas de Recursos Humanos (PRH) da ANP, do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) e dos cursos de extensão em Petróleo & Gás do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG).

“Uma importante etapa foi vencida com a autorização da ANP. O próximo passo é agilizar o processo para contratação do Termo de Cooperação com a Petrobras, para que possamos dar início às obras o mais breve possível”, afirmou o coordenador do projeto, o professor Moacyr Araújo, do Departamento de Oceanografia.

Autor: Agência de Notícias UFPE
Data: 17/04/2012 00:00:00

Próxima

Título: Pesquisa: Cenpes e UFPE firmam convênio
Descrição: “Perspectivas para a pesquisa em petróleo no Brasil: o papel das universidades”. Este foi o tema da palestra ministrada pelo gerente executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), Carlos Tadeu Fraga, na última quarta-feira (11/01), na Universidade Federal de Pernambuco. Durante a apresentação para alunos e professores do Centro de Tecnologia e Geociência da universidade, foi assinado convênio para a segunda fase de implantação do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA).

Exemplo da parceria tecnológica entre a UFPE – que participa de 11 Redes Temáticas da Petrobras - e o Cenpes, o CEERMA foi inaugurado em 2009 e é considerado um laboratórios mais modernos do mundo em estudos de confiabilidade e risco na área de engenharia de poços.

No evento, Fraga destacou a importância da formação de recursos humanos e do desenvolvimento de pesquisas para descoberta e geração de novas tecnologias no setor de petróleo, gás e energia. “Para uma companhia ser forte ela precisa ter capacidade tecnológica. É preciso aprender a projetar a partir de estudo, isso só é possível formando gente capaz. Com este objetivo a Petrobras manterá seus investimentos em projetos de P&D, a fim de melhorar a qualidade dos cursos técnicos e superiores, para apoiar a ambição tecnológica nascente”, declarou.

O executivo apresentou um breve histórico sobre a Petrobras, divido em grandes fases – refino, exploração em águas profundas e pré-sal – e lembrou que os investimentos previsto na área para o período entre 2011 e 2014 é de U$1,2 bilhões.

Estiveram presentes à mesa o reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, o vice-reitor Silvio Marques, a reitora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPE), Cláudia Sansil, e o presidente da Refinaria Abreu e Lima, Marcelino Guedes.

Redes Temáticas – O modelo das Redes Temáticas foi criado pela Petrobras em 2006, voltado para o relacionamento com as universidades e institutos de pesquisas brasileiros. Hoje já há 50 redes operando em parceria com mais de 100 instituições de todo o Brasil. Nas redes, as parceiras desenvolvem pesquisas em temas estratégicos para o negócio da Petrobras e para a indústria brasileira de energia. A Petrobras vem investindo cerca de R$ 460 milhões anuais, em média, possibilitando às conveniadas a implantação de infraestrutura, aquisição de modernos equipamentos, criação de laboratórios de padrão mundial de excelência, capacitação de pesquisadores/recursos humanos e desenvolvimento de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento nas áreas de interesse, como petróleo e gás, biocombustíveis e preservação ambiental.

Autor: Petrobras - Fatos e Dados
Data: 12/01/2012 00:00:00

Próxima

Título: Além das fronteiras do Cenpes
Descrição: Em quatro anos, desde a implantação das redes temáticas, a Petrobras já destinou R$ 1,1 bilhão à construção e modernização de laboratórios voltados para a indústria de óleo e gás em universidades brasileiras. A cifra engloba um total de 420 projetos, que agregarão, até o fim deste ano, uma área de cerca de 750 mil m², o que equivale a duas vezes e meia o tamanho do Cenpes – já considerando a expansão prevista este ano.

Contabilizados dentro da cláusula de investimento em P&D dos contratos de concessão, que reserva 0,5% da receita bruta de campos que pagam Participação Especial (PE) a projetos em instituições de pesquisa, os recursos acabaram sendo canalizados sobretudo para obras físicas, por absoluta falta de infraestrutura. “O Brasil não tem laboratório nem pesquisadores para colocar todo esse dinheiro”, diz o diretor Executivo do Cenpes, Carlos Tadeu Fraga.

Os projetos estão sendo executados conforme a criticidade dos temas – ou seja, a começar do desenvolvimento tecnológico para o qual a Petrobras requer uma unidade experimental mais rapidamente. Do valor total contratado, R$ 830 milhões já foram desembolsados. Na relação das obras acabadas ou em fase final estão 20 laboratórios com recursos de ponta, espelhados nos principais centros de referência no exterior.

Embora influenciada pela cláusula de P&D, a aplicação de recursos em universidades é considerada útil e oportuna pela petroleira. “Na medida em que fomentamos instituições e programas de excelência em petróleo, atraímos mais pessoas para pensar em nossos problemas”, avalia Fraga.

Projetos pioneiros

O investimento em infraestrutura laboratorial pode variar entre construção, reforma e melhoria de edificações para abrigar instalações físicas, e aquisição, montagem e instalação de máquinas, equipamentos, instrumentos, softwares científicos e outros materiais necessários à implantação e funcionamento do laboratório.

Na lista das novas instalações constam projetos pioneiros no Brasil e até na América Latina. Um deles é o Laboratório de Engenharia Naval do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), que conta com tanque de provas, túnel de vento e túnel de cavitação (estudo de hélices).

Outro exemplo de vanguarda é o do Tanque de Provas Numérico da USP. A estrutura poderá realizar testes em sistemas de produção de petróleo, antes contratados pela Petrobras no Japão.

Ganhos para o Nordeste

Mesmo concentrado no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde predominam as instituições com maior produção acadêmica para o setor petróleo, o investimento tem peso maior nas regiões Norte e Nordeste. Dentro da política da Petrobras de destinar de 30% a 40% dos recursos a essas regiões, o aporte por universidade acaba sendo maior, em função do menor número de instituições contempladas e do volume de investimento comparado à realidade local. Na UFPE, por exemplo, há uma estimativa de investimento da ordem de R$ 150 milhões, contra um orçamento anual da instituição de R$ 60 milhões.

O fomento ao desenvolvimento tecnológico fora do Sul e do Sudeste é benéfico para as operações da companhia. Por um lado, facilita o atendimento de demandas do Cenpes em regiões onde a Petrobras mantém instalações. Por outro, favorece a formação de mão de obra local para empresas que prestam serviço à petroleira, evitando custo com a importação de pessoal.

No Rio Grande do Norte, graças a investimentos da ordem de R$ 80 milhões em 30 laboratórios nos últimos cinco anos, a UFRN pôde estruturar o primeiro programa de mestrado e doutorado em Engenharia do Petróleo fora do eixo Rio-São Paulo. A especialização melhorou a avaliação da instituição e abriu portas para o intercâmbio com centros de excelência fora do país.

Segundo o reitor da UFRN, José Ivonildo do Rêgo, os recursos da Petrobras propiciam uma capacitação que vai além dos desafios da indústria de óleo e gás. “Os projetos na área de petróleo mobilizam uma cadeia de competência multidisciplinar, que ajuda o estado a solucionar questões em setores estratégicos da economia local”, afirma.

Como exemplo disso, Rêgo cita a área de Engenharia de Materiais. Os mesmos técnicos que estudam problemas de cimentação de poços de petróleo, como revestimentos específicos, também avaliam questões da indústria cerâmica vermelha, uma típica atividade potiguar. Outra atividade tradicional, a carcinicultura (criação de camarões), é apoiada por técnicos da área de processamento e reúso de resíduos da atividade petrolífera.

Opinião semelhante tem o reitor da UFPE, Amaro Henrique Lins. Para ele, o aporte na universidade é um passaporte para outras esferas de conhecimento. “Esse investimento nos coloca em uma posição na qual podemos nos relacionar com o que há de melhor em termos de instituições no mundo”, ressalta.

O Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma), da UFPE, orçado em R$ 70 milhões, é forte candidato a polo de conhecimento em Pernambuco. Único no gênero fora dos EUA, a unidade contará com um parque experimental para todos os tipos de teste de perfuração, devendo atrair técnicos e pesquisadores de empresas e instituições de todo o mundo.

O Laboratório Integrado de Tecnologias em Petróleo e Gás e Biocombustíveis (Litpeg) é outro projeto estratégico para o estado. Voltada para diversos segmentos da cadeia do petróleo, como geologia, materiais e refino, a unidade tende a desenvolver uma interface com outros empreendimentos em Pernambuco, como o polo industrial de Suape, por exemplo, ao qual fornecerá suporte em aplicações como soldagem para a indústria naval.

Autor: Brasil Energia
Data: 08/06/2010 00:00:00

Próxima

Título: Alunos do CEERMA marcam presença no Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional
Descrição: Alunos de mestrado e doutorado do CEERMA apresentaram trabalhos no Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional - SBPO, realizado pela Sociedade Brasileira de Pesquisa Operacional. O Simpósio ocorreu na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, entre os dias 24 e 28 de Setembro.

Os trabalhos já estão disponíveis para visualização nos pré-anais:

Diagrama de Blocos e Processos de Renovação Generalizados para Modelagem de Bancos de Dados de Confiabilidade, apresentado por Rafael Azevedo - http://bit.ly/QYAvrU

Approaches for Quantitative Ecological Risk Assessment of Industrial Accidents e Integrated Stochastic Modeling for Quantitative Ecological Risk Assessment of Potential Oil Spills in a Marine Ecosystem at Northeastern Brazil, apresentados por Heitor Duarte - http://bit.ly/UDW0o4 e
http://bit.ly/VFCKYP

Desenvolvimento de Metodologia Bayesiana de Análise Quantitativa de Risco para Terminais de GNL e Aplicação para um Terminal Offshore, apresentado por Marilia Ramos - http://bit.ly/RkxQL2

Autor: CEERMA
Data: 24/10/2012 00:00:00

Próxima

Título: UFPE e UFRJ assinam convênio geral de cooperação acadêmica e intercâmbio
Descrição: Da Agência de Notícias - UFPE
Por Ana Célia de Sá
Fotos: Passarinho

Reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, e vice-reitor da UFRJ, Antônio Ledo, assinam acordo

As Universidades Federais de Pernambuco (UFPE) e do Rio de Janeiro (UFRJ) assinaram, na manhã de sexta-feira (9), Convênio Geral de Cooperação Acadêmica e Intercâmbio Técnico, Científico e Cultural. O acordo, assinado pelo reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, e pelo vice-reitor da UFRJ, Antônio Ledo, abre caminho para a realização conjunta de programas e projetos entre as duas instituições. Após a cerimônia, os dirigentes visitaram o Museu Oceanográfico e participaram de mesa-redonda sobre Parques Tecnológicos, no auditório do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma) da UFPE, no Campus Recife.

“O objetivo do convênio é estreitar a cooperação entre as universidades”, destaca o reitor Anísio Brasileiro. “A UFRJ e a UFPE têm, particularmente em áreas tecnológicas, longa tradição de interface”, completa. O convênio tem por meta promover o intercâmbio de conhecimentos técnicos, científicos e culturais por meio da realização de atividades de ensino, pesquisa e extensão.

De acordo com o professor Antônio Ledo, o próximo passo é instituir os aditivos para a promoção das atividades. “Precisamos trabalhar nos aditivos para interações específicas”, ressalta. “Acordos entre instituições grandes como as nossas têm tudo para dar certo”, complementa o vice-reitor da UFRJ.

A cerimônia de assinatura foi acompanhada pelo vice-reitor da UFPE, Silvio Romero Marques; pelos pró-reitores Ana Cabral (Proacad), Francisco Ramos (Propesq) e Kátia Araújo (Proaes); além da secretária-executiva da Fade, Suzana Montenegro; do diretor de Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), Antonio Celso Antonino; e de outros docentes da UFPE.

MESA-REDONDA – "Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: a Importância dos Parques Tecnológicos" foi o tema central da mesa-redonda presidida pelo reitor Anísio Brasileiro na manhã de sexta-feira (9). O professor Antônio Ledo falou sobre o papel social das universidades, o histórico da UFRJ e apresentou a estrutura do Parque Tecnológico do Rio, instalado no campus da instituição fluminense.

O parque tem a missão de promover a cooperação entre a iniciativa empreendedora e a comunidade universitária. Entre seus objetivos estão aproximar empresas e universidade, integrar alunos, incentivar a inovação na perspectiva do empreendedorismo e estimular a troca de tecnologias.

O Parque Tecnológico do Rio é formado por Conselho Diretor, Diretoria Executiva e quadro gerências. Fazem parte do Conselho Diretor a UFRJ, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Prefeitura do Rio de Janeiro, Sistema Firjan, Sebrae, Coppetec, Bio-Rio, Petrobras, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e empresas.

fonte: http://bit.ly/Q8IKqK

Autor: ASCOM ufpe
Data: 26/11/2012 00:00:00

Próxima

Título: Aluno do CEERMA tem trabalho premiado na área de Análise de Riscos Ecológicos
Descrição: O trabalho desenvolvido pelo aluno de doutorado em Engenharia de Produção do PPGEP/UFPE, Heitor de Oliveira Duarte, e o professor Enrique López Droguett, ambos do CEERMA (Centro de Estudos em Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental) no congresso de 2012 a Sociedade para Análise de Riscos (Society for Risk Analysis, SRA, http://www.sra.org/), em São Francisco, Califórnia, ganhou a competição de melhor trabalho na área de Análise de Riscos Ecológicos, o que garantiu um prêmio de U$500.

O trabalho, de título ‘Análise Quantitativa de Riscos Ecológicos de Acidentes Industriais: o caso do transporte marítimo de petróleo na costa do litoral nordeste do Brasil’ (Quantitative Ecological Risk Assessment of Industrial Accidents: The Case of Oil Ship Transportation in the Coastal Tropical Area of Northeastern Brazil), é resultado de dois anos de pesquisa para dissertação de mestrado de Heitor Duarte desenvolvida sob a orientação do Prof. Enrique Droguett, e também contou com a colaboração dos professores Moacyr Araújo (CEERMA-UFPE) e Simone Teixeira (Ciências Biológicas, UPE). Segundo Heitor, o melhor de tudo não foi o prêmio financeiro, mas sim saber que a sua pesquisa no mestrado foi reconhecida internacionalmente.

O trabalho trata de ressaltar a importância de avaliar os riscos ecológicos (a plantas e animais, desconsiderando humanos) causados não só por eventos comuns (como por exemplo, poluição crônica, descarga gradual de resíduos tóxicos, uso de pesticidas na agricultura), mas também os riscos ecológicos causados por eventos de baixa frequência e alto impacto (por exemplo, vazamentos tóxicos acidentais). Para isso, desenvolveu-se uma metodologia capaz de quantificar riscos ecológicos inerentes a acidentes industriais. Além disso, a metodologia foi aplicada e validada através de uma aplicação na atividade industrial de transporte de petróleo para o Complexo Industrial Portuário de Suape e os riscos que esta causa ao ecossistema na praia de Suape. Para mais detalhes, veja a
publicação no link: http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10807039.2012.723187

Autor: CEERMA
Data: 16/12/2012 00:00:00

Próxima

Título: Petróleo e energia fomentam P&D
Descrição: As áreas de energia e petróleo têm regras para estimular o uso de um pequeno percentual de suas receitas para fundos de pesquisa e desenvolvimento (P&D), parcerias de empresas e universidades. Os textos são de Angela Fernanda Belfort.

Os fundos setoriais garantiram ano passado R$ 2,048 bilhões gastos em projetos de Pesquisa & Desenvolvimento (P & D), em todo o Brasil. Esses fundos obrigam empresas de setores como o petrolífero e o de energia a investirem um percentual da sua receita bilionária em projetos desse tipo. A obrigatoriedade do uso desse dinheiro em P & D tornou a Petrobras a maior patrocinadora de projetos da área no País. Ano passado, a estatal bancou R$ 586 milhões em projetos, em parcerias com as universidades e Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs). Os fundos estão trazendo não só as pesquisas em si, mas também têm induzido a criação e expansão de laboratórios muito bem equipados para a multiplicação do conhecimento no meio acadêmico.

A Petrobras é a maior empresa com parceria em P & D na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em média, são R$ 12 milhões por ano em pesquisas, envolvendo de doutores do Centro de Informática (CIn) até pessoal de outras áreas, como engenharia. Numa das iniciativas, foi implantado o Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma), que recebeu R$ 2 milhões em dinheiro do fundo de petróleo só na primeira etapa, já concluída. O projeto envolve recursos técnicos que só existiam no exterior. O Ceerma já disponibiliza salas de realidade virtual, máquinas para testar outras máquinas e um megacomputador com uma capacidade de processamento tão grande que equivale a 384 computadores domésticos.

"A Petrobras está criando com os recursos do fundo setorial uma estrutura de laboratórios e conhecimento que até então só existia no exterior. Um laboratório com a estrutura do Ceerma maximiza as parcerias entre as empresas e universidades", diz o professor de engenharia da produção da UFPE, Márcio das Chagas Moura, que desenvolve suas pesquisas no local. Atualmente, o centro desenvolve pesquisas em parceria com a Petrobras e também com a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Ambas podem resultar em novos produtos, diz Chagas.

O laboratório também trouxe outro ambiente para os alunos. Estudante de doutorado em Engenharia da Produção, Isis Lins fez uma tese sobre o risco e a confiabilidade em sistemas de produção. "Muitas vezes, só consegui replicar os modelos de cálculos
usados no trabalho porque usei equipamentos do Ceerma. Em um computador doméstico, a pesquisa seria inviável", conta.

A segunda etapa do centro já está conveniada entre a UFPE e a Petrobras. Serão R$ 5,5 milhões via fundo do petróleo para habilitar o Ceerma e os cientistas da UFPE a oferecerem à petrolífera um teste que indica em quanto tempo pode ocorrer uma falha em uma válvula usada na extração do petróleo. Esse tipo de serviço, que tem como objetivo aumentar a segurança (inclusive para o meio ambiente) da extração do óleo, só é realizado em dois lugares: as cidades de Edimburgo, capital da Escócia, e em Houston, no Estado do Texas, Estados Unidos.

Para o coordenador do Ceerma, Enrique López, a maior vantagem da parceria é formar recursos humanos. "É importante oferecer mão de obra qualificada aos empreendimentos que estão se implantando em Suape, como a refinaria, a petroquímica e o setor naval", destaca.

O fundo do petróleo está bancando a implantação o Laboratório Integrado em Tecnologia, Petróleo, Gás e Biocombustível (Litpeg). Será megalaboratório de seis andares na UFPE, com equipamentos de geologia e das engenharias químicas, mecânica e civil, orçado em cerca de R$ 70 milhões. As obras vão durar 4 anos e já começaram. "Está sendo montada a infraestrutura física necessária à pesquisa, terminando um ciclo. Na próxima etapa, haverá pesquisa com mais tecnologia, que resultará em mais patentes", diz o professor do Departamento de Oceanografia da UFPE e coordenador do Litpeg, Moacyr Araújo Filho.

Autor: Angela Fernanda Belfort, Jornal do Commercio
Data: 25/03/2013 00:00:00

Próxima

Título: Simulação de processos produtivos auxilia melhoria do nível de atendimento do RU
Descrição: O professor Márcio das Chagas Moura e o aluno Victor Viana ambos do Departamento de Engenharia de Produção (DEP) e do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA) auxiliaram, através de suas pesquisas, a equipe do Restaurante Universitário (RU) da UFPE na tomada de decisão no que diz respeito à melhoria do nível de atendimento de serviço aos estudantes. Os estudos, que foram realizados com auxílio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC-CNPq), identificaram que os balcões são os gargalos atuais do processo de atendimento. “Nota-se, através dos resultados da simulação, que os balcões são utilizados em quase 85% do tempo, enquanto a capacidade de estudantes sentados do RU é apenas utilizada em cerca de 44% do seu total em média durante o horário de almoço. Em outras palavras, a capacidade do RU possui folga pra ser mais utilizada, mas a quantidade de balcões não permite que isto ocorra atualmente.”, diz o professor Márcio das Chagas Moura.

Portanto, a equipe do RU irá duplicar em caráter experimental o número de balcões de distribuição de refeições. Além disso, outras modificações discutidas com a empresa contratada para o fornecimento de refeições e com arquitetos da UFPE também serão implementadas na tentativa de melhorar o atendimento e o nível de satisfação dos estudantes. “O importante deste trabalho é que soluções desenvolvidas dentro da UFPE podem resolver problemas da própria instituição. Além disso, o PIBIC permite a formação de recursos humanos capacitados a trabalhar nessa área da Engenharia de Produção”, acrescenta das Chagas Moura.

Autor: Márcio das Chagas Moura, DEP-CEERMA-UFPE
Data: 25/03/2013 00:00:00

Próxima

Título: Workshop discute gestão de risco no setor de Petróleo e Gás
Descrição: Especialistas da área debateram a gestão de riscos na engenharia industrial do setor de petróleo e gás com estudantes e profissionais durante o primeiro workshop da Rede Temática da Agência de Brasileira da Inovação (Finep) em parceria com a UFPE, ontem (12), no Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma).


O Ceerma desenvolve metodologias sofisticadas para a qualificação de produtos industriais que exijam alto grau de confiabilidade e recursos computacionais avançados necessários para cálculos complexos envolvidos em Estudos de Análises de Risco, Segurança de Processo, Engenharia de Confiabilidade e Modelagem Ambiental.

Fonte: http://www.ufpe.br/agencia/index.php?option=com_content&view=article&id=48407:workshop-discute-gestao-de-risco-no-setor-de-petroleo-e-gas&catid=563&Itemid=72

Autor: CEERMA
Data: 14/11/2013 00:00:00

Próxima

Título: Processo Seletivo de Bolsas de Graduação - PRH-47
Descrição: O PRH-47 “Gestão da Sustentabilidade para a Exploração e Produção de Petróleo na Banda Equatorial” inicia o processo seletivo para concessão de bolsas de estudo aos alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação em Engenharia de Produção, Oceanografia, Engenharia Eletrônica e Ciências e Engenharia da Computação. As bolsas têm como objetivo a formação complementar dos estudantes da UFPE para o setor de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Os candidatos deverão entregar uma via da seguinte documentação: 1. Curriculum atualizado; 2. Cópia do Histórico Escolar até 2014.1; 3. Comprovante de matrícula 2014.1; 4. Cópia da Carteira de Identidade; 5. Cópia do CPF; 6. Cópia de Comprovante de Residência até o dia 01/08/2014 através dos emails ana.agra@yahoo.com.br e paestevao@hotmail.com em mensagem cujo assunto deve ser “[PRH-47] – Nome do Aluno”. Valor da bolsa: R$ 600,00.
Autor: CEERMA
Data: 17/07/2014 00:00:00

Próxima

Título: Pesquisadores do CEERMA-UFPE conquistam Prêmio Capes de Tese Edição 2014
Descrição: Os pesquisadores Isis Didier Lins e Enrique López Droguett do CEERMA receberam o Prêmio Capes de Tese edição 2014, que é outorgado aos autores das melhores teses de doutorado defendidas em 2013. O objetivo da homenagem é dar distinção aos respectivos orientadores, coorientadores e programas de pós-graduação, conforme a área de conhecimento.

Isis Didier Lins (atual professora do Departamento de Engenharia de Produção (DEP) da UFPE, que faz parte das Engenharias III da Capes), foi premiada pelo trabalho “Models for quantifying risk and reliability metrics via metaheuristics and support vector machines”. A tese teve a orientação de Enrique López Droguett, também professor do DEP. A área de Engenharias III da Capes engloba Engenharia Mecânica, de Produção, Naval, Energia, Aeroespacial, Aeronáutica, dentre outras.
“Este trabalho tem destaque acadêmico por apresentar proposições de modelos para quantificação de risco e confiabilidade de sistemas e equipamentos em diferentes fases do seu ciclo de vida, tais como projeto e operação. Tais modelos propostos representam uma grande contribuição para o país na área de engenharia de produção, tendo um deles sido aplicado para um caso de uma empresa no setor de óleo e gás”, explica a coordenadora do PPGEP, Danielle Morais.
Esta é a terceira vez que o PPGEP, em seus 16 anos de existência, recebe esse prêmio. Outros três Programas de Pós-Graduação da UFPE foram premiados com a Menção Honrosa: Física, Nutrição e Serviço Social.

Autor: ASCOM - UFPE
Data: 02/10/2014 00:00:00

Próxima

© 2012 Copyright CEERMA. Todos os direitos reservados.
produzido por: M2S Software